Beato Padre Donizetti, o primeiro congregado brasileiro elevado aos altares

Conheça a história do sacerdote que ainda em vida levava consigo a fama de santo

As Congregações Marianas sempre foram conhecidas como Escolas de Santidade: são mais de 300 Santos e Beatos ao longo de mais de 456 anos de história, e a cada dia mais congregados são elevados aos altares. No dia 23 de novembro de 2019, em Tambaú-SP, foi realizada a cerimônia de beatificação do Padre Donizetti Tavares de Lima, primeiro congregado mariano brasileiro a ser beatificado.

PRIMEIROS ANOS

Donizetti nasceu em 1882 na Cidade de Cássia (MG). Em 1886, mudou-se com seus pais para Franca (SP). Mais tarde, ali manifestou o desejo de ser sacerdote. Porém, o pai lhe pediu que permanecesse com sua família, que passava por dificuldades financeiras. Neste período foi organista e professor de música e estudou na Faculdade de Direito de São Paulo.

SACERDÓCIO PROFÍCUO

Em 1908, foi ordenado Sacerdote na cidade de Pouso Alegre (MG), transferindo-se para a recém-criada Diocese de Campinas, onde trabalhou até 1926.

Em 1926 transferiu-se para a Diocese de Ribeirão Preto, a fim de ficar mais perto de sua família. Ali é nomeado pároco na Cidade de Tambaú (SP). Padre Donizetti realizou muitas obras sociais e assistenciais na cidade, ajudando os pobres, doentes, crianças e idosos.

Alguns congregados de Tambaú na biblioteca da sede da Congregação Mariana. Foto publicada no anuário das Congregações Marianas de São Paulo em 1936.
Página de um anuário das Congregações Marianas do Estado de São Paulo de 1936, no qual consta o nome de Padre Donizetti como Diretor da Congregação Mariana

PADRE FUNDADOR

Entre as obras sociais, destacam-se a fundação do asilo São Vicente de Paulo, da Associação de Proteção à Maternidade e Infância de Tambaú e do Círculo Operário Tambauense. Foi também fundador da Congregação Mariana Nossa Senhora da Conceição de Tambaú para rapazes e da da Pia União das Filhas de Maria, para moças.

FAMA DE SANTIDADE

Sacerdote exemplar, acolhedor e penitente, consta na sua biografia que fazia apenas uma refeição por dia e dormia em tábuas tendo seus livros como travesseiro.

Da cidade de Tambaú sua fama de Santidade se espalhou pelo Brasil, logo começaram os relatos de curas e grandes milagres ocorridos na cidade após a Benção do Sacerdote, além de relatos de bilocação e dons de profecia testemunhados por muitas pessoas.

Grande devoto de Nossa Senhora, atribuía todas as Graças e Milagres à Materna Intercessão da Virgem e sempre procurava aumentar a devoção mariana por onde passava.

O MILAGRE DA BEATIFICAÇÃO

Reconhecida pela Santa Sé, uma cura realizada por intercessão de Padre Donizetti possibilitou sua beatificação. Trata-se do caso do menino Bruno Arruda de Oliveira, que sofria com uma deficiência congênita nos dois pés. Mesmo uma intervenção cirúrgica não garantiria um restabelecimento completo. Ainda assim, a cirurgia foi marcada com um ortopedista.

Um dia antes da operação, a mãe de Bruno suplicou sua cura por intercessão de Padre Donizetti. Na manhã seguinte, a criança acordou com os pés normais e nunca precisou ser submetida à cirurgia.

A Festa Litúrgica do Beato Padre Donizetti Tavares de Lima acontece no dia 16 de junho, data da sua morte.

Que este grande sacerdote e congregado mariano interceda por todos os congregados marianos do Brasil, para que possam um dia alcançar a santidade e cantar as maravilhas de Deus, Nosso Salvador.

Adriano Nascimento
Coordenador da CORESP